Refugiado do Congo participa das atividades do Circo Crescer e Viver

Resultado Final da Seleção Profac 2019
2 de julho de 2019
NOVAS MASCULINIDADES – formação de homens como sujeitos ativos nas relações sociais e intrafamiliares – de 17 de set a 24 de out
26 de julho de 2019
O jovem artista, que fugiu da crise humanitária de seu país, está na cidade há 2 meses e chegou ao Circo Crescer e Viver em busca da realização de sonhos

Heritier Makengo Vakata, de 28 anos, é um refugiado da República Democrática do Congo radicado na Cidade do Rio de Janeiro há dois meses. Através do Programa de Atendimento a Refugiados da Cáritas Arquidiocesana do Rio de Janeiro em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR), ele chegou ao Circo Crescer e Viver em busca de apoio e inserção nas atividades da instituição, sendo esse mais um passo para a sua integração social no Brasil.

Profissional de dança folclórica em seu país natal, onde integrou um grupo local tradicional, o artista congolês também tem experiência em circo como homem-fogo e acrobata, além de ser percussionista. Atualmente, ele tem se apresentado nos espaços públicos da cidade para sobreviver, levando música e dança para as ruas, sinais e praças.

Agora, integrado ao Circo Crescer e Viver, ele participará como aluno ouvinte do Programa de Formação do Artista de Circo (Profac), da Escola de Circo Crescer e Viver, para aprimorar suas habilidades artísticas e ampliar o seu repertório. Além disso, Makengo será inserido na cadeia produtiva da organização.

Totalmente sozinho no país, ele conta que saiu do Congo devido a atual crise humanitária no país africano, ocasionada por enfrentamentos entre comunidades, milícias e forças armadas, e que tem resultado em mortes tanto pela violência quanto pela escassez de alimentos e água.

Para transformar o refúgio em um novo começo, ele enxergou nesta situação uma oportunidade para desenvolver sua capacidade artística e viu no Brasil um potencial de crescimento e melhora.

“Sempre ouvi falarem muito sobre o Rio de Janeiro, que aqui era uma cidade de arte, por isso quis conhecer. É uma cidade grande, muita gente vem para cá para tentar a vida e eu acredito que também posso conseguir, por isso estou me empenhando em procurar. Eu estou gostando muito do Brasil, apesar de ser bem diferente do meu país. Mas os brasileiros são pessoas de coração enorme, sabem conviver com as pessoas e tem me recebido muito bem”, conta Heritier animado com a nova vida e com as oportunidades oferecidas pelo Circo Crescer e Viver.

O Circo Crescer e Viver tem parceria institucional do Itaú Social e da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, e é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS, Amil, Operador Nacional do Sistema Elétrico e Petrobras.