Baião – a homenagem do circo à Luiz Gonzaga

Passos
11 de novembro de 2018
Univvverrsso Gentileza – o mundo é redondo e o circo arredondado
11 de novembro de 2018

Um dos maiores artistas da cultura e da música popular brasileira, LUIZ GONZAGA – o rei do baião -, com a sua sanfona, seu chapéu de cangaceiro e sua voz negra, ainda toca o coração de milhões de brasileiros e brasileiras. Suas músicas, repletas de sentimentos nordestinos, espelham a grandeza de um “cabra” incomum, com uma criatividade a flor da pele, que cantou a brasilidade e vem influenciando obras na música, na literatura, no cinema, na dança e no teatro, ressurge, agora no picadeiro do Crescere e Viver com o espetáculo BAIÃO.

O espetáculo BAIÃO é o “sonho” que invade o circo, numa viagem conduzida por jovens artistas circenses desenhando com a destreza dos seus corpos uma história que transcende o tempo e o espaço. Nele, o LUA, como era conhecido GONZAGÃO, têm os seus pedaços e símbolos essenciais (re)construídos diante do público, valorizando a sua capacidade de reinventar a tradição e transformar conceitos. Sua caminhada é palhaça, suas músicas cospem fogo e sua alma se agiganta, ainda mais, sobre as pernas de pau.

Xote, baião e rock brotam da energia de um jovem elenco, distante do solo árido do nordeste, mas forjado no território da Praça Onze – berço do circo, da cultura popular do Rio e dos bordéis que revelaram o mais ilustre dos sanfoneiros. Num forró doido, acompanhe o mestre GONZAGÃO se equilibrando na corda bamba da vida para, num salto imortal, sacudir as estrelas transformando-as nas luzes da ribalta que iluminam os caminhos de todos que acreditam que a arte transforma…

.

Direção: Ernesto Piccolo

Elenco: Anne Andrade, Isabel Ebert, Luiz Alberto (Ceará), Allan David, Tito Sant’anna, José Carlos (Tico), Evelyn Cristina, Bárbara Moura, Vinicius Marques, Daniel Tavares, Alex Baião e Renata Lugão.

Ano de montagem: 2008